Skip to content

História

História ›› Resumo   Pré-História   Fundação   Temporada 2008   Temporada 2009

PRÉ-HISTÓRIA (março 2007 a dezembro 2007)

Dois Missionários e uma Ideia

O time tem raízes numa iniciativa de dois missionários norte-americanos para ensinar o esporte de beisebol aos brasilerios. O Lee Geiger (pastor batista em Gravatái-RS) e o Steve Everett (missionário batista em São Leopoldo-RS), ambos ex-jogadores universitários, tiveram o mesmo ideia de apresenter e ensinar seu esporte favorito no Brasil. Na verão de 2007 eles começaram discutir a idéia e desenvolver um plano. Foi decidido lançar o projeto na bairro de Rincao em Gravataí onde Lee estava pastor da Igreja Batista Comunidade Cristã. Era sensato começar onde já houveram relacionamentos na comunidade e o potencial para a igreja e o projeto de beisebol benificiar-se mutuamente.

Durante a fase de planeamento, um outro norte-americano em Gravataí, Christan Shirk, ouviu do projeto e juntou com o Lee e o Steve. Tendo vindo a Brasil trabalhar no ministério de esportes, Steve tinha trazido uma coleção pequena de equipamento de beisebol que, combinada com alguns itens de Lee, eram suficiente começar. No dia 11 de abril de 2007, o três e mais o Geferson (o pastor ajunto brasileiro na igreja do Lee) sentaram-se juntos para uma reunião organizativa com o lançamento do projeto marcado para o sábado d’aquela semana. O objetivo inicial foi cativar o interesse da gurizada e ensiná-los o esporte, com o alvo de eventualmente formar um time.

Primeiros Treinos no Rincão

O projeto iniciou com seu primeiro treino no dia 14 de abril de 2007. Seis guris compareceram nos arredores do bairro onde o trio de treinadores também contou com a presença de um punhado de outros amigos americanos. As primeiras tentativas praticar este esporte estranho combinaram com seu cenário–um campo rudimentar de futebol, áspero com a grama infreqüentemente cortada. Mas enquanto o campo continuaria inalterado, um punhado de guria entre os seis a doze que apareceria cada semana mostraram potencial rapidamente enquanto começaram pegar as técnicas do esporte. Além de realizar treinos, umas aulas foram dadas para explicar os termos, os conceitos e as regras básicas de beisebol.

Simultâneo com os primeiros meses de treinos, o treinador Christan também integrava-se num time existente de beisebol em Porto Alegre que ele tinha descoberto a mesma semana que ele ouviu deste projeto. O time, o Farrapos Beisebol Clube, participava no inaugural campeonato estadual de beisebol, algo que o Lee e o Steve não souberam que exista. As experiências dos Christan e os relacionamentos que ele formava seria muito influente no futuro, mas no curto prazo incentivava saber que o projeto não existiu em um vazio e que um time futuro teria um propósito e um contexto em que competir. Além disso, o nível modesto de desempenho achado no campeonato estado deu os treinadores razão acreditar que participação na competição no próximo ano, 2008, podia ser possível se o projeto teve um primeiro ano bem-sucedido. Então os treinadores e principiantes tiveram um destino e um alvo buscar.

O sucesso, naturalmente, era longe de garantido dado todas as circunstâncias. Além do desafio de tirar jovens da cama cedo nos sábados para jogar algo outro que futebol, o campo tornaram-se um obstáculo. Primeiramente, mas não tal crítico, era o fato que um campo de futebol realmente não é muito mais do que uma metade do espaço exigido por beisebol, e o estoque precioso de bolas foi sendo perdido à campina e mata ao redor. Mais impeditivo era uma escolinha de futebol que teve prioridade e começou usando o campo nas mesmas horários nas manhãs de sábado. Infelizmente somente alguns meses desde seu início, os treinos foram suspendidos até que um local mais disponível (e talvez mais adequado) podia ser arrumado.

Treinos no Santos F.C.

Os treinos foram resumidos mais ou menos um mês depois quando foi organizado usar o campo de futebol do Santos F.C. no bairro de Natal. Com a igreja fornecendo transporte, os guris do Rincão continuaram a comparecer nos treinos. O campo mantido e mais perto do centro forneceu condições melhor treinar ainda que fosse pequeno para beisebol. Havia razão para otimismo que o projeto tinha achado uma situação satisfatória por enquanto. Mas quando os treinos de futebol minimizaram o tempo disponível para beisebol sábados da manhã e também vários guris parou participar consistente, os treinos novamente foram suspendidos para re-avaliar a situação.

O projeto tinha realizado algum desenvolvimento positivo dos jogadores apesar da inconsistência do treinos, com alguns craques potenciais entre o grupo. Havia bastante razão para os treinadores ser motivados continuar. Mas a idéia de ter uma equipe pronta participar no segundo campeonato estadual parecia cada vez menos realista — o desenvolvimento dos jogadores ainda foi limitado e alguns desses que mostraram a maior potencial faltaram motivação treinar consistente ou teve outros compromissos. O projeto devia expandir seu alcance além do gurizada do Rincão para achar um número suficiente de participantes comprometidos.

Resignados a fazer o possível com a situação do campo no Santos F.C., uma campanha de divulgação de uma semana foi organizada atrair novos participantes para o reinício dos treinos. Um grupo de igreja visitando dos EUA ajudou realizar uma série de atividades aumentar a consciência pública do projeto e apresentar o esporte à cidade. Apresentações nas escolas and uma entrevista na rádio precederam o evento principal: um jogo de exibição (veja embaixo) entre o Farrapos B.C. (o time com que o treinador Christan jogava) e um grupo de americanos . Com esperanças que a semana de divulgação daria frutos e aumentaria o grupo de participantes, os treinos foram resumidos em dezembro, desta vez programado para cedo nos sábados antes dos treinos de futebol. O horário bem cedo rapidamente provou inviável pois o comparecimento do núcleo de guris do Rincão caiu drasticamente e dentro de poucas semanas foram abandonados os treinos mais outra vez.

Jogo de Exibição

No dia 17 de novembro de 2007, com querer de aumentar a consciência do público sobre o projeto e atrair mais jovens, um jogo de exibição foi organizado para apresentar o esporte a Gravataí. Os treinadores reuniram seus amigos missionários e alguns visitantes americanos jogar um amistoso contra o Farrapos B.C. de Porto Alegre. O campo de futebol no Santos F.C. foi convertido temporariamente num campo de beisebol completo com um morrinho de arremessador e todas as marcações. O jogo mesmo era um sucesso com uma qualidade geral em exibição que talvez igualou o melhor que tinha sido visto em qualquer jogo no campeonato estadual esse ano. Os norte-americanos, de quem uns não tinha jogado faz muito tempo, atualizaram razoavelmente bem e conseguiram uma vitória de 12 a 11 na partida competitiva de 5 entradas. Infelizmente a boa apresentação do esporte acconteceu em anonimato relativo, embora a cobertura no jornal local era ótima (foto na capa e uma página inteira).

continua ››

Anúncios
%d bloggers like this: